Socialize

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Musica - Tati Bernardi

As pessoas seguram uma risada quase de pena. Mas se ele nem morava aqui, mas se ele não ficou mais do que uma semana com você, mas se já faz tempo que ele se foi, sem nunca ter sido.
Então o quê? Nem eu sei. Mas sei da minha enxaqueca que já dura uma semana. Latejando sem parar. O coração que subiu nos meus ouvidos. Gritando que sente falta e pronto.
Eu sinto falta de ligar o celular, depois do avião aterrissar, e ter uma mensagem sua dizendo que vai dar tudo certo. E sorrir mesmo estando numa fila gigantesca para o táxi, embaixo daqueles 78 graus do Rio de Janeiro. Não tem poesia nem palavra difícil e nem construção sofisticada. O amor é simples como sorrir numa droga de fila. E não se sentir mais sozinho e nem esperando e nem desesperado e nem morrendo e nem com tanto medo.
Eu sinto falta de querer fazer amigos em qualquer festa, só pra conhecer gente estranha e te contar depois. Agora, eu fico pelos cantos das festas. Voltei a achar todo mundo feio e bobo e sem nada a dizer. Porque eu acho que estava gostando mais das pessoas só porque te via em tudo. Agora as pessoas voltaram a me irritar. E eu voltei a ter que fazer muita força pra sair de casa.
Quando alguém não entende o meu amor, eu lembro daquele dia que você não queria tocar violão pra mim. Até que dedilhou reclamando que não era o seu violão. Daí tentou uma música conhecida. Tentou uma menos conhecida. Daí tocou uma sua, com a voz baixinha e olhando pro nada. E então me encarou e cantou com a voz alta. E então largou o violão, me encarou e cantou bem alto a sua dor, de pé, na minha frente, e eu achei que meu peito ia explodir. E ri achando que você ia sair correndo e dar um show na padoca da frente. E naquele momento eu pensei que poderíamos ser infinitos se fossemos música. E isso explica tudo, mas ninguém entende. Você entende. Mas cadê você?
Quando vai dando assim, tipo umas onze da noite, o horário que a gente se procurava só pra saber que dá pra terminar o dia sentindo algum conforto. Quando vai chegando esse horário, eu nem sei. É tão estranho ter algo pra fugir de tudo e, de repente, precisar principalmente fugir desse algo.
E daí se vai pra onde?



As vezes tenho a impressão que a Tati me escreve nos seus textos, muita gente pode sentir o mesmo que eu. Mas não estão tanto no que ela diz de tudo que sentiu,  como eu estou e com ele, aquele que já faz tempo que deixou der, mas eu ainda lembro. Passou um filme agora lendo esse texto, até o horário era o mesmo! Aquela hora que saia da universidade, 11 da noite era o nosso horário...e tudo acontecia exatamente como no texto! E agora, ainda não sei pra onde vou!

A inveja


O invejoso é o pior cego porque não se enxerga, não percebe que ninguém brilha com a luz do outro, que somente conseguimos brilhar com luz própria, que é uma soma de várias luzes, luzes dos outros, luzes ofertadas com amor, carinho, alegria, amizade, fraternidade, bem querer. Só brilha também aquele que é capaz de doar sua luz, com desprendimento, porque tudo na vida é uma troca, de energia, de luz, de carinho, de amor.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Frase da semana.

Mãe, pra que mesmo que serve essa vacina que eu tomei?!
Vacina H1N1 Data e Calendário Campanha Vacinação Gripe 2010
H1N1.


terça-feira, 13 de abril de 2010

O Beijo - Dia do beijo


Um dia, vou beijar o sapo e este vai virar o homem.

Homem que escuta, e ouve...
Homem que fala, e diz...
Homem que olha, e vê...

Um dia, vou beijar o sapo e este vai virar o homem.

Homem que observa, e compreende...
Homem que respeita, e trata bem...
Homem que junto, participa...

Um dia, vou beijar o sapo e este vai virar o homem.

Homem que não mente...
Homem que não rouba...
Homem que não trai...

Um dia, vou beijar o sapo e este vai virar o homem.

Homem que admira, e manifesta...
Homem que toca, e sente...
Homem que beija, e se entrega...

Um dia, vou beijar o sapo e este vai virar o homem.

Homem que ama, e não tem medo...
Homem que vive, e não vegeta...
Homem que está, e não de passagem...

Um dia, vou beijar O Sapo e este vai virar O Homem.

                                 
                                   Rosana Costa©

Luis Fernando Veríssimo -- Odia do beijo

                                     
                                            

Era uma vez... numa terra muito distante...uma princesa linda, independente e cheia de auto-estima.
Ela se deparou com uma rã enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo era relaxante e ecológico...
Então, a rã pulou para o seu colo e disse: linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito.
Uma bruxa má lançou-me um encanto e transformei-me nesta rã asquerosa.
Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir lar feliz no teu lindo castelo.
A tua mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavar as minhas roupas, criar os nossos filhos e seríamos felizes para sempre...
Naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria, pensando consigo mesma:
 
- Eu, hein?... nem morta!

HAHAHA

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Marcel Franco

RESPIRAÇÃO

Respiras fundo trás de mim
E aspiras uma saudade
Cadente dos meus olhos

Respiras fundo e primarevas
Pontas de cores
Onde, em mim, era tudo inverno

Respiras fundo trás de mim
E em meu corpo todo
Valsam luzes de elfos, de fadas

Respiras fundo e sopras
Minh’alma adormecida
E me fazes compreender que estou vivo

25/03/2010

Marcel Franco

quarta-feira, 7 de abril de 2010